Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo

Notícias

11/07/2019 - 14h27

Pesquisa da CNT revela recuperação lenta para setor de transportes em 2019

Pesquisa da CNT revela recuperação lenta para setor de transportes em 2019

Maioria dos modais têm expansão menor que em 2018

A pesquisa Conjuntura do Transporte – Desempenho do Setor, divulgada pela CNT (Confederação Nacional do Transporte), revela uma recuperação lenta para o setor de transportes em 2019.

Segundo o estudo, a maioria dos modais apresentaram uma expansão menor neste ano, em comparação aos números de 2018.

Segundo o estudo, a baixa demanda é registrada, principalmente, no modal rodoviário. As incertezas geradas na paralisação dos caminhoneiros no ano passado e, também, o roubo de cargas em algumas regiões contribuem para os resultados negativos.

Em 2019, o fluxo de veículos pesados do primeiro trimestre ficou 8,8% abaixo do período pré-recessão (março de 2014). O problema foi maior no Rio de Janeiro, que registrou fluxo 18,8% abaixo do período de pré-recessão.

“O transporte reflete a economia brasileira. O crescimento econômico está muito aquém do que o Brasil precisa. E o nosso setor fica na mesma situação. Afinal, transportamos aquilo que é produzido”, disse o presidente da CNT, Vander Costa, em nota.

Ainda segundo o estudo, o modal ferroviário vive um momento de incertezas, principalmente devido à queda na produção, influenciada, possivelmente, pela desativação de barragens da Vale, após o rompimento da barragem em Brumadinho, em Minas Gerais.

“Em 2018, o modal teve um bom desempenho, com aumento na produção de 5,8% em TU (toneladas úteis) e 8,5% em TKU (toneladas úteis por quilômetro). Esse crescimento foi impulsionado pelo transporte por contêiner (17,7%) e também pode ter sido influenciado pela paralisação dos caminhoneiros”, informou a CNT, em nota.

“O minério de ferro corresponde a mais de 70% das cargas ferroviárias transportadas. E, agora, no primeiro trimestre de 2019, o transporte por vias férreas dessa mercadoria registrou queda de 3% em TU.”

Na avaliação do presidente da CNT, de forma geral, o transporte vai acompanhar a economia brasileira ao longo de 2019.

“Continuamos otimistas de que o governo Bolsonaro vai conseguir aprovar a reforma da Previdência e isso vai gerar mais credibilidade ao país. A iniciativa privada vai investir e recuperar a economia com emprego e renda”, disse.

 
Imprimir Indicar Comentar

« Voltar
Newsletter

Cadastre-se e receba periodicamente a nossa newsletter em seu e-mail

Atualize o seu navegador. Mais segurança para você.
Mais liberdade aos desenvolvedores.
BAIXE
AGORA
Fechar