Federação dos Trabalhadores em Transportes Rodoviários do Estado de São Paulo

Notícias

29/07/2019 - 20h12

Greve de ônibus em São Paulo pode ser realizada na quarta (31) e prefeitura divulga nomes dos membros de comissão sobre recolocação de cobradores

Greve de ônibus em São Paulo pode ser realizada na quarta (31) e prefeitura divulga
nomes dos membros de comissão sobre recolocação de cobradores
 
Ao menos 260 ônibus devem ser tirados do sistema em agosto e a partir de 02 de setembro, veículos novos dos tipos padron e convencional do subsistema estrutural já poderão ser incluídos sem o posto do cobrador. Sindmotoristas está preocupado com redução de frota e demissões
 
O Sindmotoristas, que é o sindicato que representa os trabalhadores dos transportes urbanos da capital paulista, anunciou que vai fazer uma assembleia na próxima segunda-feira, 29 de julho de 2019, para decidir uma possível greve de ônibus em São Paulo na quarta-feira, 31.
Em plenária sobre o Dia dos Motoristas, realiza nesta quinta-feira, 25, no “CMTC Clube”, zona Norte da Capital, a entidade sindical definiu um plano de ação contra o que considera risco de perdas de empregos de motoristas e cobradores.
Entre as ações previstas pelo sindicato estão: “distribuição de um jornal do sindicato denunciando em detalhes a armação por trás do processo licitatório e convocando uma grande assembleia, em frente à sede da entidade, já para a próxima segunda-feira (29), com o objetivo de aprovar a greve da categoria quarta-feira (31), no mesmo dia do julgamento da licitação.”
Como mostrou o Diário do Transporte, no dia 31, a Justiça responde aos embargos de declaração impetrados pela prefeitura sobre a decisão que considerou ilegal o prazo de 20 anos de concessão previsto na licitação do sistema da cidade. Dependendo da decisão, a prefeitura pode validar a assinatura dos contratos com as empresas, ajustar estes contratos para 15 anos, o que mudaria toda a forma de remuneração das viações, ou mesmo, invalidar a concorrência e começar tudo do zero de novo.
Por meio de nota, o sindicato ainda informou que, além da paralisação dos ônibus no dia 31, os motoristas e cobradores podem realizar uma passeata da avenida Paulista até a sede da prefeitura, na região central.
“Na assembleia, será proposta, além da paralisação, uma passeata dos trabalhadores em transportes saindo do sindicato, passando pela Avenida Paulista, Consolação até à sede da Prefeitura, na região central da cidade.”
Em primeira mão, com base em documentos oficiais, o Diário do Transporte mostrou nesta quinta-feira, 25, que a gestão Bruno Covas pode retirar de circulação 260 ônibus do subsistema estrutural, formado pelas empresas mais tradicionais que operam coletivos maiores. Os novos contratos emergenciais com as viações já incorporaram o modelo operacional previsto na licitação dos transportes, com a criação de um grupo de linhas intermediário, chamado subsistema de articulação regional (entre os bairros) e a redução de frota.
O Sindmotoristas acredita que pode haver demissões com esta redução de frota.
A redução determinada pela gestão Bruno Covas, por meio dos contratos emergenciais, só afeta os subsistemas estrutural e de articulação regional (ônibus grandes e básicos). O subsistema local, formando pelas empresas que tiveram origem nas cooperativas de lotação, não é atingido.
 
 
Imprimir Indicar Comentar

« Voltar
Newsletter

Cadastre-se e receba periodicamente a nossa newsletter em seu e-mail

Atualize o seu navegador. Mais segurança para você.
Mais liberdade aos desenvolvedores.
BAIXE
AGORA
Fechar